Hoje, 29 de setembro, é o Dia Internacional da Conscientização sobre a Perda e o Desperdício de Alimentos, e o projeto ZERO WASTE divulgou suas primeiras descobertas.

Estes resultados iniciais compreendem e apresentam informações recolhidas a partir de um questionário distribuído a indivíduos com idades compreendidas entre os 18 e os 60 anos na Irlanda, Portugal, Espanha e Roménia. O questionário perguntou aos entrevistados sobre suas compras e hábitos e investigou as causas percebidas do desperdício de alimentos.

Os resultados revelam que, na maioria das casas dos participantes, os fatores relevantes que contribuem para o desperdício de alimentos incluem a compra de mais do que o necessário (16%), sobras (18%) e datas de validade (19%). Em relação a este último, 24% dos respondentes consideram “uso até” como sinônimo de “validade até”.

O questionário também explorou as opiniões dos entrevistados sobre a prevenção do desperdício de alimentos. 22% dos entrevistados acreditam que as iniciativas sociais são as medidas mais eficazes para aumentar a consciência social e reduzir o desperdício. Quando questionados sobre como as restrições do COVID-19 afetaram seus hábitos de compra, 52% dos entrevistados afirmaram que isso mudou a forma como eles gerenciam os alimentos em casa; por exemplo, agora eles tendem a planejar com mais eficiência e evitar viagens extras de compras compilando cardápios semanais, estocando mais provisões, administrando porções e rações e garantindo que tenham refrigeração e armazenamento eficientes.

Finalmente, os entrevistados foram convidados a expressar suas principais preocupações sobre o desperdício de alimentos em casa e suas principais considerações ao comprar alimentos. Os dados emergentes da primeira questão revelaram que 45% dos respondentes se preocupam com os aspectos éticos, enquanto o restante se preocupa com os fatores ambientais (28%) e os econômicos (27%). Em relação à última questão, 23% dos entrevistados afirmaram que os preços dos alimentos são um fator de grande influência, enquanto uma minoria disse que comprar produtos locais e ter uma boa relação custo-benefício são importantes. Esta última questão é significativa, pois demonstrou que a maioria dos consumidores baseia suas escolhas alimentares em fatores econômicos, em vez de tomar decisões ótimas com base em outras considerações, como saúde.

Esses resultados apoiam a visão de que tais atividades de divulgação são essenciais para aumentar a conscientização do consumidor e incentivar as pessoas a adotar as melhores práticas na compra de alimentos e hábitos alimentares.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.